Notícias

Tratamento de varizes com espuma.

Tratamento de varizes com espuma, uma realidade que mudou a flebologia.

Recentemente, inúmeras matérias apresentadas em programas de televisão despertaram o interesse e dúvidas sobre o tratamento de varizes com espuma. 

A técnica consiste em criar uma espuma, utilizando um esclerosante líquido (no Brasil e Europa o mais utilizado é o polidocanol) misturado a ar ambiente, com uso de 2 seringas,  

conseguindo, assim, a espuma.

A espuma é utilizada para o tratamento veias reticulares e varizes, inclusive no tratamento da veia safena, com o auxílio da ultrassonografia vascular, para identificar a veia que deve  ser tratada e ter certeza que estamos injetando a espuma no interior da veia e acompanhar para onde vai. Pode ser usada também, em alguns casos, no tratamento das varicoses  (“vasinhos”) através da aplicação direta. A espuma leva à destruição de células da parede  venosa, resultando em entupimento deste vaso. 

Benefícios e riscos da espuma para o tratamento das varizes

Você deve estar pensando: Nossa, que maravilha! Isso é o fim da cirurgia para varizes! Para que operar, se você pode apenas injetar uma espuma no interior da veia e está tudo  resolvido! 

A grande vantagem desse procedimento é, em certos casos, evitar uma cirurgia e ser realizada no próprio consultório do Cirurgião Vascular, sem necessidade de repouso. Esse  método vem sendo realizado com grande êxito no tratamento das úlceras venosas e varizes  avançadas em que a cirurgia é muito agressiva e nem sempre viável. O tratamento das  varicoses ou “vasinhos” com espuma de polidocanol, em casos bastante selecionados, pode  ser utilizado em concentrações muito menores do esclerosante, reduzindo drasticamente o  risco de complicações, porém não é a primeira escolha para este tipo de vaso. 

Porém, como todo tratamento, a espuma pode apresentar alguns inconvenientes, como flebites e manchas escurecidas na pele, geralmente transitórias, e em raras ocasiões, reações alérgicas e trombose venosa profunda. Por isso, o uso da espuma tem suas indicações  específicas, devendo sempre ser explicado sobre riscos e resultados. Consulte SEMPRE seu  cirurgião vascular! 

Artigo publicado em Revista Saúde 26 edição em março de 2018